Top 5: melhores momentos em “The Four Horsemen”

Top 5: melhores momentos em “The Four Horsemen”

Todos estamos um pouco nervosos por “The Four Horsemen” apenas pelo fato de que o mundo agora tem um tempo ainda mais curto do que todos achavam. É chocante, preocupante e está deixando todo mundo maluco. Basta ver a crise nervosa em que a Clarke estava, e a pressão psicológica por que Raven está passando. Todos eles parecem estar prestes a ter um surto psicótico – menos o Jasper – e o mundo tá acabando, então não podemos tirar a intenção de ninguém. Vamos aproveitar o momento, então, e dar uma olhada na seleção dos melhores momentos do terceiro episódio! Mas cuidado, ALERTA DE SPOILER!

 

1. SKAIRIPA. Desde o início dessa quarta temporada meu nível de observação em relação à Octavia Blake tem praticamente explodido. Sabemos que desde a morte de Lincoln ela vem canalizando todos os sentimentos de dor e saudades em relação a ele para seu treinamento. Indra começou com ela há algum tempo, e agora ela lida consigo mesma sem precisar da guerreira. As mortes dos guardas de Roan no primeiro episódio e então de Rafel foi basicamente uma demonstração sutil do seu poder e força. Uma morte limpa como aquela transformou-a na “morte que vem de cima”, que é como os grounders estão chamando-a agora. Roan parece considerar isso praticamente uma dádiva, levando em conta de que a garota nem mesmo uma terrestre é, mas Indra parece um tanto preocupada com essa situação. Afinal de contas, Lincoln era parte dos Trikru, e ela parece saber bem como a garota se sente.

 

2. EMORI, JOHN E RAVEN. Eu, particularmente, acho incrível como desenvolveu o relacionamento de Emori e John. Ele é o tipo de cara que você não gosta nunca, mas de vez em quando ele acerta e você fica feliz por ele ter sobrevivido até então. Emori é uma pessoa simples, que tem uma força de vontade incrível e consegue que façam o que ela quer. Vê-los juntos é algo que a gente sorri, não por serem que são, mas porque pelo menos alguém tá feliz – além do Jasper – em meio à esse caos, não é mesmo? Agora Raven é um caso a parte. Ela é uma boa pessoa, e uma engenheira de mão cheia, mas ela como líder de algo acaba dando problemas: não porque ela não sabe dar ordens, mas porque ela se sobrecarrega demais com coisas que não seriam exatamente necessárias. O fato de Murphy saber lidar com ela exatamente da maneira certa me faz imaginar como Emori reagirá à nossa Reyes: vão se tornar amigas, pelas características em comum que elas têm, ou inimigas à primeira vista?

 

3. GAIA E A CHAMA. Primeiro de tudo eu fiquei pensando: quem, diabos, era aquela garota? Eu amei os cabelos dela, mas naquele momento sua atitude não era nada além de preocupante. A Chama é ícone do mandato de Roan como rei, é necessária para que todas as pessoas de Polis o respeitem como tal. Então, agora, é óbvio que ele tem um problema. Para Roan a Chama foi destruída, e agora seu reinado está por um fio. Indra está obviamente preocupada por que sua filha (!), se descoberta, pode ser considerada traidora, e todos eles sabem como eles lidam com esse tipo de crime. Octavia talvez tenha ganhado uma amiga, e acredito eu que é bem interessante que isso aconteça. Esperamos ver Gaia mais algumas vezes, sua forma de pensar e história, tendo a mãe que tem, é algo que eu gostaria de saber mais!

 

4. A LISTA. Escolher quem vai viver e quem vai morrer deve ser um tormento, mas o que Raven disse tem um fundo de razão: ela já fez isso várias vezes, mas parece que escolher dentre os seus se torna ainda mais pesado e cansativo. Reyes pressionou para que ela fizesse logo a lista com as pessoas que poderiam acrescentar algo para o trabalho interno da estação, já que ela está planejando uma estadia monitorada por cinco anos para a tentativa de sobrevivência. Clarke é uma pessoa que tenta tudo o que pode antes de tomar decisões definitivas, como foi em Mount Weather, acreditando até em Jaha para alimentar aquele fio de esperança. O fato dela não conseguir escrever o próprio nome naquela lista nos mostra que ela ainda tem aquele mesmo pensamento que a fez ir embora depois de voltarem da montanha; ela acha que não tem direitos o suficiente à sobrevivência como o resto das pessoas, como se não fosse permitido que ela viva apesar de tantas mortes. Bellamy sabe exatamente o que se passa na cabeça da garota, e nunca deixaria ela pra trás, apesar de tudo o que eles já passaram. Quem mais aí tá hiper mega curioso pra saber quem exatamente está nessa lista?

 

5. NIGHT BLOOD. Luna, mais uma vez, parece ser uma solução distante e desesperadora. Da última vez que precisaram dela, ela se recusou a ajudar, preferindo a exclusão de sua estação petrolífera, e agora que eles acham que o sangue negro que corre em suas veias pode ser uma salvação contra a radiação, os coloca em um empate: não há sangue necessário para que todos de Arkadia e ainda os grounders sobrevivam, como o acordo de Clarke e Roan predomina. E mesmo que tenha sangue o suficiente, o que eu particularmente duvido, nada nos garante que Luna vá querer colaborar, levando em conta o histórico dela com esse tipo de situação. O que pode mudar em algo esse tipo de coisa é o fato de que agora, Clarke parece estar mais desesperada do que antes, mais preocupada do que antes. ALIE foi um risco para todos, mas estariam todos vivos, de uma forma ou outra, mas dessa vez eles serão todos extintos, e isso se torna alguns níveis mais preocupantes do que a ameaça anterior.

 

É claro que nós estamos aflitos, preocupados e ansiosos em níveis parecidos, deixando a gente em um estado de espera nervoso pelo próximo episódio. Será que Luna vai colaborar? E Jasper, o que vai fazer dessa vez, já que temos spoilers de que ele leu a lista de pessoas que vão sobreviver? Estamos nervosos e queremos que quarta-feira chegue logo, o quanto antes. Você não pode perder “The Lie Guarded”, que vai ao ar dia 22!

 

© Texto: Dheel Hauptmann – Equipe The 100 Brasil – Não reproduza sem os créditos.