The 100 | Review – 3×15: Perverse Instantiation (1)

Acredito que posso falar por todos os fãs de The 100 quando digo que ninguém esperava que a série pudesse ganhar tamanha proporção de eventos e seguir uma trama extremamente madura e bem construída. Confesso que durante a exibição do piloto eu pensei “Ah… essa é apenas mais uma série boba, com enredo limitado. Não tem futuro”. Como eu estava enganado, caros leitores. Com o avançar dos episódios mantive um pé atrás, porém ao final da primeira temporada fui atingido por um rompante de amadurecimento que fez com que eu me arrependesse de todos os pensamentos grosseiros que tive em relação ao show.

Está sendo bastante gratificante acompanhar o amadurecimento e desenvolvimento de The 100, principalmente durante a segunda, e esta temporada atual. Não só o enredo e sua trama evoluíram, mas a produção da série está mais séria e madura, os personagens apresentam nuances a cada novo episódio e tudo isso deixa mais interessante a experiência de acompanhar o desenrolar dessa história. Estamos prestes a concluir mais uma temporada, que na minha opinião foi o ponto decisivo na história do show. Se a segunda temporada nos deixou sem palavras com tudo o que aconteceu, essa terceira tem se mostrado constante e decisiva, e onde realmente enxergamos com clareza o verdadeiro divisor de águas.

A primeira parte da Season Finale foi, sem dúvidas, de tirar o fôlego. Todos nós estamos envolvidos nessa luta contra a Alie, e praticamente compartilhamos as mesmas aflições dos personagens a cada cena nova. Ao olharmos para trás e vermos esse plot enfadonho, como muitas vezes mencionei aqui (principalmente por envolver o desnecessário Jaha), jamais pensaríamos que ele se desenvolveria sorrateiramente costurando todos os plots que foram desenvolvidos durante a temporada e, no final, ele se consolidaria como arco principal e mais bem executado. Jason cumpriu com a sua promessa de que não esperaríamos o que seria a Alie e de como ela afetaria a vida de todos. Ele também cumpriu a promessa de que essa temporada seria sangrenta e dolorosa. Não podemos reclamar de nada, pelo menos eu não irei.

A força da Alie é assombrosa. Sem que percebêssemos Jasper tomou o chip e pôs em risco todo o plano que Clarke arquitetou com o Rei Roan, que mais uma vez a salvou da morte por interesses pessoais, lógico. Aproveito esse parágrafo só para ressaltar a inutilidade do Jasper nessa temporada inteira. Mais uma vez eu lamento por um personagem tão promissor ter sucumbido de tal maneira, se mostrado tão covarde em todos os momentos. A covardia da qual falo é com ele mesmo (e que acaba afetando os demais por conta de suas decisões afetadas por ela). Ele tem agido de forma covarde consigo mesmo quando se deixa controlar pela dor e sempre procura a maneira mais fácil de fazê-la sumir. Ao invés de enfrentá-la como os demais personagens, ele se esconde e foge. Inútil, é a palavra certa para descrevê-lo.

Com o plano em risco, Clarke e os demais caminharam para uma armadilha levando consigo a tão desejada flâmula. Emboscados e sem saída, os resistentes se viram nas mãos dos capachos robotizados da Alie, e esta por sua vez não mediu esforços para ter acesso à segunda IA. Clarke foi capturada por ser “a única” que sabe a palavra chave para desbloquear a Alie 2, e foi torturada pela própria mãe que, por estar sob influência do controle cerebral, não demonstrou nenhuma dor ao torturar e, mais tarde, até abrir mão da própria vida para fazer a filha ceder. Imagino o quanto esse momento tenha sido doloroso para a Clarke.

Felizmente, Bellamy e os demais que foram capturados receberam ajuda de Murphy, Pike e Indra, e deram seguimento à invasão da torre. Muita luta, explosões, assuntos inacabados (certo, Octavia e Pike) configuraram os momentos anteriores do golpe final da Alie: matar Ontari. Ao se ver sem saída quando Clarke não cedeu, mesmo vendo sua mãe sufocando (sabemos o quanto a loira é durona e toma as decisões difíceis porque precisam ser tomadas, vide morte do Finn, explosão de Mount Weather, seu afastamento de Arkadia e outros mais), Alie não pôde se arriscar e eliminou a última Sangue da Noite antes que Clarke pudesse fazer o que deveria ser feito.

Agora os resistentes se veem desamparados e presos dentro da Polis repleta de inimigos. Qual será o futuro deles, não sabemos. Tudo dependerá dos eventos do próximo episódio onde descobriremos se Luna repensará a sua decisão, se Clarke injetará em si a segunda IA ou será chipada e controlada pela Alie, se Raven e Monty serão capazes de acessar o código da Alie mais uma vez. O futuro é incerto.

Vamos acompanhar o desfecho dessa temporada.


  • Gilmara Da Silva Reis

    Excelente artigo Carlinhos, você também mostra amadurecimento em sua analise, sei que é difícil ser fã e fazer uma analise coesa e sem deixar as preferencias influenciar na opnião.

    Concordo TOTALMENTE Jasper foi um inútil a temporada toda, se ele morrer pelas mãos da Clark na cidade da Luz será um alivio para os telespectadores mais experientes.

    The 100 em sua 3° temporada já deixa saudades , justamente por ser A MELHOR e com esse roteiro sensacional.

    • Gilmara, muito obrigado por sempre comentar.

      Estou nessa estrada de Reviewer há quatro anos e sempre busquei a imparcialidade nos meus textos. Entrei nessa onda só como passatempo lá no extinto Manicômio Séries, e acabei me apaixonado pela construção de reviews. Sempre estruturei meus textos dessa forma. São mais de 500 textos publicados (infelizmente não estão mais no ar por conta do MS), fora as matérias especiais, onde nunca deixei as minhas preferencias encobrirem a razão de um olhar crítico.

      Lá no MS, durante o processo de instrução dos novos escritores, sempre ressaltei o seguinte pra eles: “Saibam separar a sua visão de fã e a sua visão critica na hora de escrever os seus textos. Uma review, apesar de ser um texto pessoal e que ressalta a visão de quem está escrevendo, deve ser critico e não apenas movido pela emoção de fã”. Esse sempre foi o meu molde.

      Agradeço, novamente, por comentar.

  • Mateus Carvalho

    Jasper e Jaha, na minha opinião, não foram inúteis nessa temporada. Ao meu ver, eles representam a fragilidade humana e a busca por uma forma de escapar da dor, cegamente. Eles fazem atos que não nos agradam sim, porém são necessários pra complexidade da trama dessa temporada.
    Ah, e a propósito, excelente review!

    • Gilmara Da Silva Reis

      Jasper é inútil desde a 1° temporad a, ele e nada é a mesma coisa, merece morrer e logo kkkkkk

    • Gilmara Da Silva Reis

      Jasper é inútil desde a 1° temporad a, ele e nada é a mesma coisa, merece morrer e logo kkkkkk

    • Gilmara Da Silva Reis

      Jasper é inútil desde a 1° temporad a, ele e nada é a mesma coisa, merece morrer e logo kkkkkk

  • Marcos Filipe

    o jasper prestou pra ser a ovelha negra. Ele sempre esteve la para atrapalhar. Ao meu ver o que foi mais desnecessario foi aquela coisa toda do Pike. No final das contas não se chegou a lugar nenhum. Ele atualmente não passa de mais um personagem. Ao meu ver toda aquela historia serviu apenas pra ter historia pra contar.

    • Denise Teles de Oliveira

      serviu pra matar personagens, …primeiro lexa, depois lincon e serviu pro bellamy fazer besteira de metro a um nível máximo… sem contar um monte de porcaria além… raiva do pike, level max