The 100 | Review – 3×14: Red Sky At Morning

Parece que não há uma solução para o problema que a Clarke vem enfrentando desde o final do episódio anterior. Luna manteve-se irredutível na sua decisão em não aceitar a fâmula e, dessa forma, carregar o passado (e futuro) sangrento que vem inclusos no pacote. Um momento desesperador para os jovens que nutriam uma tão fervorosa esperança de que a moça seria a resposta que eles tanto esperavam.

O episódio dessa semana foi bastante tenso nos seus dois núcleos. Primeiramente vimos uma Alie desesperada para impedir que o seu código fosse destruído antes que ela pudesse se transferir para uma plataforma segura e inatingível (obrigado, Raven, por colocar medo numa inteligência artificial). E depois vimos a Luna enfrentar o seu maior medo, e a coisa que ela mais repudia nessa vida, a violência acompanhada da morte. Confesso que fiquei bastante satisfeito com a forma que os dois núcleos foram trabalhados, principalmente os eventos que ocorreram na Plataforma Offshore, pois fomos capazes de conhecer nuances da Luna que precisavam ser exploradas que justificarão, mais tarde, a sua decisão em cooperar com a Clarke.

Falo “mais tarde” porque sei que é completamente possível que a moça venha a reconsiderar a sua decisão por conta de algum acontecimento dentro da plataforma. Alie conseguiu se infiltrar onde todos achavam que era impossível, mas ela conseguiu, logo, seriamos ingênuos em acreditar que aqueles homens que foram corrompidos eram os únicos sob influência dela. Acredito que, em algum momento, uma nova situação ganhará corpo e Luna não será capaz de carregar tanto peso nas suas costas, tantas mortes, e procurará a Clarke. Alie sabe que que Luna é a única Sangue da Noite e, com certeza, tentará matá-la. Então podemos esperar que a ela venha a reconsiderar essa decisão.

Para aqueles que torcem e acreditam na possibilidade da Clarke introduzir em si mesma a segunda IA (sim, não podemos descartar essa possibilidade), é bom não se prender muito a isso, mas não quer dizer que não possa acontecer. Caso isso ganhe corpo, acredito eu, que seria uma decisão muito forçada dos produtores para colocar a loira como esse personagem forte, super poderoso e capaz suportar uma força letal a humanos comuns. Não foi isso que tentaram fazer no começo da temporada com essa história de Wanheda?! Pois bem, seria praticamente a mesma coisa, só que dessa vez eles contornariam toda a mitologia que construíram para justificar a atitude. Nós não queremos isso, não é verdade? Queremos que The 100 mantenha a sua coerência.

Saindo dessa divagação e voltando para o que aconteceu mesmo no episódio, vimos a Raven assustando completamente a Alie ao invadir o seu servidor e começar a burlar todos os seus códigos de segurança. Apesar de concordar com as palavras do Monty e esperar pelos outros para tomar uma decisão mais certa antes de alertar a Alie da presença deles, confesso que torci para que a Raven não recuasse na decisão que ela achava ser mais certa. Caso a nossa mecânica não tivesse batido o pé e dado seguimento à ação, eles nunca saberiam que há um botão de “desligar” o sistema da Alie. Raven quase conseguiu, pena que Alie foi mais rápida, conseguiu controlar o ataque de Murphy, Indra e Pike à mochila que carrega seu sistema, e se transferiu para um servidor seguro e inatingível.

O que esperar agora dos próximos passos da Alie e do seu exército de mentes controladas, e o que esperar dos próximos passos da Clarke. A Clarke que conhecemos tomaria essa situação como vencida?

Até breve.


  • Camilla Araúna

    Raven não é engenheira, é mecânica.

  • Gilmara Da Silva Reis

    Clark inserir o chip nela mesma, seria sensacional e NÃO FORCADO, afinal Luna não quer a CHAMA, alguém precisa acessar LEXA, ninguém melhor que a própria CLARK para trazer LEXA a cidade da LUZ…

    • Pedro Frederico

      Só que ela morre se inserir neh. Então nem adianta. Provavelmente isso só vai definir na próxima temporada que vai dar + destaque a Luna com + epi etc.

      • Gilmara Da Silva Reis

        A genética dos skycru é diferente dos humanos , lembra o povo da Montanha?

        • Gabi Valentim

          Mas a Clarke não é uma night blood e só eles conseguem ingerir a ALIE 2 e não morrer. A genética dos skycru é diferente, mas não é igual a dos night blood.
          E a Luna parece uma personagem bem diferente e muito forte, seria interessante desenvolvê-la.

      • Gilmara Da Silva Reis

        então, acredito que os roteiristas irão nos surpreender…..

    • CLARKE inserir a flâmula em si, seria forçado SIM. Seria uma forma muito arranjada por parte dos produtores, isso para não dizer preguiçosa e previsível. Desde que apresentaram a mitologia da Polis que eles ressaltam a importância de um Night Blood para que o chip não cause mal ao hospedeiro. A própria Becka fez experimentos em si própria e alterou o seu sangue para que ela pudesse receber a IA de forma segura. Dizer agora, no andar da carruagem, que a Clarke pode receber o chip sem sofrer nenhuma consequência, me desculpe, mas é FORÇADO sim.

      • Gilmara Da Silva Reis

        KKKKKKK. Entende e respeito a opinião, mas sempre que eu posso revejo a segunda temporada( pois ela foi excelente) para ver se deixei passar alguma informação ou detalhe.

        E tem um dialogo entre o velho da Montanha e Cane (filho) onde eles comentam que se conseguirem medula óssea dos skycru eles não precisariam mais do sangue terras firmes, eles comentam que os Skycru foram modificados geneticamente, e a própria Clark comenta (quando Emerson esta preso na câmara de compressão) sobre como eles foram gerados geneticamente.

        Só estou dizendo que seria uma explicação plausível se Clark se auto inserir a Chama baseado no fato deles terem sido gerados geneticamente, seria forçado se não houvesse explicação.

        E outra coisa O sangue negro (tão importante) foi Becca quem criou ( e não os terras firmes) seria sensacional se ela tivesse deixado (esquecido)uma mostra lá antes de ir para a terra com os frascos e A.Li.E. two .Logo tudo faria sentido…sei que é doideira, mas tenho certeza que os roteiristas iram pelo caminho que ninguém esta imaginando…:)

        • Se você revê a segunda temporada entende que o sangue deles é valioso por ter se adaptado à radiação do espaço, isso é explicado diversas vezes na segunda temporada. O povo da arca se adaptou as condições de radiação, seja os que ainda estavam vivos, ou o que nasceram e se criaram dentro da Arca. Lembra disso? Da mesma forma que os Grounders se adaptaram à radiação da Terra, e por isso Mount Weather faziam experimentos com eles.
          E sim, Becca que modificou a sua estrutura sanguínea para receber a segunda IA, não foram os grounders, eles apenas repassam essa genética, logo, entende-se que, todos os Night Bloods são, de alguma forma, descendente da Becca (ou de qualquer outra pessoa que ela tenha dividido o composto que modificou seu sangue, o que eu acho muito dificil ela ter feito isso, visto que ela já estava preocupada com a catástrofe que a Alie 1 causou. Ela jamais arriscaria a Alie 2 a outra pessoa antes de ter certeza que era seguro).