The 100 | Review – 3×06: Bitter Harvest

The 100 | Review – 3×06: Bitter Harvest

Aparentemente Lexa tem vivido um grande impasse nos últimos dias. A vida inteira ela cresceu ouvindo as palavras “sangue deve ser pago com sangue”, uma sentença cruel e fria que garantia a sobrevivência do seu povo. Agora ela se vê numa posição onde esse pequeno ditado pode não ser a única solução para garantir tal sobrevivência, onde ela é capaz de tomar uma decisão e garantir a paz sem precisar de guerra, diferente dos seus ancestrais. O único problema é convencer todo mundo que está sob o comando dela de que essa paz é alcançável e concreta.

Bitter Harvest” trouxe esse dilema da Lexa logo no início do episódio ao mostrar o presente que Roan, rei da Nação do Gelo, mandou para a Clarke. Grande foi a surpresa da loira ao ver Carl Emerson dentro daquela caixa, o grande responsável pela explosão de Mount Weather nos episódios anteriores. A decisão de vingar seu povo através da morte do Carl, ou bani-lo eternamente ficou nas mãos dela, e não foi fácil. Clarke precisaria encontrar uma solução para não carregar mais sangue em suas mãos, nem um outro peso na sua consciência, mas principalmente, provar para a Lexa que sim, é possível agir com “compaixão” evitando o derramamento de sangue e causando uma dor e sofrimento muito maior no seu inimigo.

A decisão que ela tomou não agradou aos presentes, e eles também não ficaram nem um pouco convencidos com o apoio que Lexa deu à sua protegida. O medo de Titus fica cada vez mais óbvio. Ele teme que a sua comandante esteja perdendo o pulso firme e por isso é vista como vulnerável por todos a sua volta. Esse não é um temor apenas do conselheiro, a própria Heda reconhece que seu povo não aceita muito bem drásticas mudanças e isso pode ocasionar-lhe diversos problemas. Muitas vezes (o que vem a seguir é uma visão deste que vos escreve) a Lexa se comporta como um espelho que reflete apenas o que agrada à Clarke. Percebo isso desde a temporada passada quando as duas se aproximaram mais, e nesses últimos episódios tenho visto a mesma coisa se repetir. Não sei se é impressão minha, ou se realmente a Heda se deixa influenciar muito facilmente quando as palavras são proferidas por sua amada. Seria o sentimento subjugando a razão?

The 100 -- "Bitter Harvest" -- Image HU306a_0101 -- Pictured (L-R): Henry Ian Cusick as Kane and Bob Morley as Bellamy -- Credit: Diyah Pera/The CW -- © 2016 The CW Network, LLC. All Rights Reserved

E razão é algo que não encontramos nas ações do Pike que a cada episódio se tornam mais cruéis e repugnantes. Seu ódio cego pelos Grounders tem feito com que ele tome decisões tolas e se mantenha irredutível à novas ideias, e consequentemente ele vai disseminando essa “certeza absoluta” nos seus Minions que cumprem suas ordens gostando ou não. A atitude de sair em busca de solos férteis e cultiváveis para garantir a sobrevivência de Arkadia foi um passo honrável que nem Jaha, Abby ou Kane se dispuseram a fazer nos seus governos como Chanceler (mas vamos dar um desconto porque eles estavam em guerra). Entretanto, o passo burro que ele dá nessa ação é partir para a agressão e decidir dizimar um vilarejo inteiro de Grounders. Foi por conta de ações como essas que muitas guerras aconteceram na nossa realidade.

Kane está disposto a por um fim e atrapalhar no que for possível os planos do Pike, mas foi Octavia que decidiu alertar o vilarejo, mas acabou sendo aprisionada. Conseguindo alertar a equipe de Arkadia da armadilha que os Grounders armaram para mata-los, ela colocou um alvo enorme nas suas costas não apenas por parte dos terra-firmes que a mantem prisioneira, mas também pelo Pike que acabou ficando ciente de que seus planos não estavam tão seguros.

Enquanto isso na boca de fumo da arca vemos o Jaha dar seguimento à distribuição dos chips que aliviam a “dor” e dão acesso ao mundo maravilho da Cidade da Luz. Abby não ficou muito convencida da veracidade do remédio miraculoso e confrontou Thelonious constatando que algo realmente estava errado, a deixa foi a frieza quando o nome do Wells foi levantado na conversa. Está mais do que óbvio que esses produtos da ALIE não são para o bem, a grande prova disso foi vista naquela briga dos criadores dela no primeiro episódio. Há muito mais dessa inteligência que nós não conhecemos, e por isso que ela está à procura de uma versão mais atualizada de si mesma que foi enviada ao espaço junto com a arca. Aparentemente uma décima terceira estação fora ao espaço, porém foi desligada e retornou a Terra. A última cena o episódio deixou a impressão de que foi a partir da Polaris que a Polis surgiu e, provavelmente, esse vasto território dominado pelos Grounders.

Espero que tenham gostado do episódio e que queiram deixar os seus comentários.

  • Everaldo Junior

    Sua visão sobre Heda é compartilhada por mim, está totalmente cega por seu amor, não consegue agir com razão e sim só e exclusivamente com o coração, a última vez que fez com razão foi na montanha(apesar de não concordar com a traição dela). A questão de Octavia foi muito bem feito, eu esperava o clichê de todos aceitarem sua ajuda, não fugir, mas acreditarem nela, nunca esperava que a fariam de prisioneira, principalmente depois que o menino informar que ela a salvou. Bom episódio, estou bem curioso sobre a tal cidade da luz, como vc disse, tem muito por trás disso, pena que Raven se “entregou”, fez vários questionamentos plausíveis, mas engoliu tudo e ajudou a Alie. Ansioso pelo 7° EP.

  • Milene Ste

    Gente a história do Jaha e a boca de fumo (hahahaha maravilhoso isso) ainda vai se desenvolver.. Tenham paciência rs Nem achei tão chato, mas isso dá margem pra tanta coisa.. Aspectos religiosos na Arkadia? Toda a questão do fim do mundo e a Allie…
    E sobre a guerra grounders x sky crew já ter sido explorada eu entendo que na verdade a questão agora não é a guerra em si, mas o impacto das ações dos arkadianos no plot da Lexa! Na relação dela com a Clarke! No desenvolvimento da própria Clarke! E talvez até pra refletirmos que o Pike está fazendo o que os grounders faziam na season 1 talvez? Acho que está sendo pertinente isso.