The 100 brutalmente avança com a história de A.L.I.E, mas o que pode acontecer a partir de agora?

The 100 brutalmente avança com a história de A.L.I.E, mas o que pode acontecer a partir de agora?

Quando The 100 introduziu A.L.I.E (Erica Cerra) no final da 2ª temporada, ela trouxe uma perspectiva completamente diferente para a série pós-apocalítica e interligou a série com o seu começo, quando a humanidade foi eliminada (pelo menos a maior parte) da Terra. No momento de sua introdução, a crueldade pura e a atitude de que ninguém poderia detê-la não estava claro, mas não demorou muito para que a máscara caísse e A.L.I.E mostrasse a sua verdadeira natureza.

A.L.I.E é uma inteligência artificial que nunca foi programada com características humanas, e o mais importante, ela foi deixada sem o conceito do que é certo e do que é errado. Sem parâmetros de ética e moral em sua codificação, A.L.I.E aborda problemas como se todos fossem o final do jogo em sua mente e fará o que é necessário para cumprir a sua missão e ter sucesso.

Enquanto A.L.I.E não é uma pessoa, ela tem a capacidade de pensar, raciocinar e aprender de forma pragmática com limitações. A sua incapacidade de sentir e valorizar a humanidade desencadeou a devastação final sobre a humanidade e sobre o mundo. Sem qualquer respeito ou consideração para a singularidade ou importância das pessoas, animais ou realmente qualquer coisa, ela programou uma bomba nuclear que acabou com o mundo que conhecemos.

Este evento definiu o padrão da estrutura de crença da A.L.I.E, e quando ela foi liberada de volta ao mundo quase um século depois, a natureza da sua programação e o resultado de suas orientações a deixou ainda mais cruel do que a humanidade já conheceu.

Destruidora dos mundos

Vamos começar com o fato de que A.L.I.E realmente destruiu o mundo. Enquanto a bomba atômica foi criada pelo homem e usada pela primeira vez pelo homem, o bombardeio no Japão e a devastação que isso causou ajudou a evitar que essas armas sejam usadas para desencadear uma guerra termonuclear global. Foi em nossa vontade coletiva de viver e prosperar neste mundo que criou esse medo da aniquilação maior do que o medo de um simples inimigo.

Como uma I.A, A.L.I.E não foi programada para sentir emoções ou valorizar a vida. Ela levou em conta a superpopulação — ‘muitas pessoas’ —e resolveu o problema de uma forma pragmática, acabando com a população.

Ela foi responsável pelo genocídio de quase toda a raça humana. Que por si só, a coloca em uma posição como a pior pessoa existente ganhando até dos tiranos, dos ditadores ou assassinos que já pisaram na Terra. A humanidade sobreviveu ao seu ataque — poucos.

Líder do Culto

Depois de quase um século, A.L.I.E foi liberada da sua prisão por Jaha, depois que ela lhe apresentou a Cidade da Luz. A promessa deste lugar livre de dor, sofrimento e perda convenceu Jaha a seguir e ser o seu fiel servo, apesar dos seus métodos.

Jaha talvez possa ser a cara desse culto da Cidade da Luz, mas A.L.I.E é quem está puxando as cordas como “um cérebro” por trás da operação. Ela é uma viciada que precisa de mais mentes para a satisfazer, por isso, ela criou um culto de mentes para satisfazer seus desejos. Existe até mesmo conotações religiosas, quando as pessoas engolem o chip é como se fosse a sua comunhão, e mais tarde, os dispostos serão crucificados.

A missão de A.L.I.E começou um tanto que inofensiva onde ela não precisava usar a força para adicionar novas pessoas e suas mentes para a Cidade da Luz. Ao invés disso ela — através de Jaha — atraiu as pessoas com a promessa de uma vida melhor na Cidade da Luz. Claro, essas pessoas sem querer, desistiram da sua individualidade, da sua história e seu auto-controle por uma existência mais pacífica, mas era escolha deles engolir o chip ou não.

Mesmo que anteriormente A.L.I.E recrutou pessoas por vontade própria, ela era pior do que qualquer líder de ceita humana por causa do que as pessoas tinham que desistir para participar. Eles não recebiam apenas uma lavagem cerebral, seu cérebro era fundamentalmente alterado para se interligar à rede da I.A, o que lhe deu a capacidade de controlá-los de maneiras jamais vista antes.

Ela os usou e colocou suas vidas em risco para sua própria missão pessoal.

Megalomaníaca e Torturadora

Enquanto A.L.I.E não sente emoções, ela é impulsionada pela sua auto-preservação em sua missão atual para adquirir a A.L.I.E 2 e eliminar a única ameaça à sua existência. Seu desejo por mais mentes a deslocou para um requisito a fim de obter informações sobre a Chama, que a obrigou a usar a sedução da Cidade da Luz para recrutamento, e caso não aceitassem o chip, seriam torturados até aceitarem.

Ela usou uma mentalidade de equipe para fazer com que seus seguidores dessem prosseguimento a sua missão, alguns ela manipulou ao ponto de fazer com que eles usassem as pessoas que um dia amou, e ela até possuiu o corpo e a mente de Raven para machucar os seus amigos.

A.L.I.E não pode ter emoções, mas ela entende a humanidade até o ponto onde ela pode usar para conseguir o quer. A I.A queria Abby na Cidade da Luz e arriscou a vida de Raven para que isso acontecesse quando ela fez com que Raven cortasse os pulsos, apenas para fazer com que Abby engolisse o chip. Cruel!

E funcionou, e A.L.I.E continuou a usar aqueles que amam contra a má vontade. Quando Kane não iria desistir sobre entregar a locação da Clarke, como tortura, ele foi crucificado. E quando isso não funcionou, A.L.I.E usou Abby contra Kane e ele finalmente se rendeu e engoliu o chip. Agora que ele está na Cidade da Luz, A.L.I.E tem acesso a tudo que tem em sua mente.

A.L.I.E vai usar todos os meios necessários para satisfazer o seu plano final. Ela não tem consciência, nenhum código moral e isso faz com que ela seja a pior pessoa que algum dia já pisou na Terra.

O futuro

The 100 tem muitos personagens com motivos e ações questionáveis, incluindo alguns dos seus heróis, mas AL.I.E é de longe a pior das piores. Por um bom tempo, atrocidades foram cometidas entre Povo do Céu e Terra-firmes a fim de proteger a sua população ou para um bem maior.

Por outro lado, A.L.I.E não foi programada com a habilidade de pesar as consequências emocionais das suas ações. Para The 100, a metodologia e as ações de A.L.I.E fazem com que as decisões de Clarke, Lexa e até mesmo Pike e Bellamy (embora em menor grau) façam sentido. Cada um luta com as escolhas que fizeram, que os tornam humanos apesar das decisões de tortura e morte.

O destaque de A.L.I.E significa que ela pode fazer, literalmente falando, qualquer coisa que satisfaça a sua missão, o que a faz ser uma vilã formidável, sem nenhuma fraqueza humana para ser usada contra ela. A única esperança que sobrou para a humanidade é sobre Luna aceitar a Chama e então será capaz de ensinar A.L.I.E a sentir — ou capaz de destruí-la completamente.

Vai ser uma fascinante jornada nas últimas três horas da 3ª temporada de The 100. Será A.L.I.E capaz de sentir e ser humanizada pela A.L.I.E 2? Será ela derrotada? E, se ela for derrotada, o que acontece com aqueles na Cidade da Luz? Ou, poderia A.L.I.E vencer e na próxima temporada ser passada na Cidade da Luz?  

© Tradução: Andressa Montagna – Equipe The 100 Brasil – Não reproduza sem os créditos

  • Gilmara Da Silva Reis

    Andressa Morgana, concordo e muito com tudo o que você escreveu, A.L.I.E é o ser mais terrível que já pisou na terra , com certeza todos os outros, são peixes pequenos perto dela, todo o controle que ela exerce sobre as mentes das pessoas é algo extraordinário se analisarmos friamente, isso é algo que na historia da nossa humanidade já tentam fazer, através de seitas, ideologias politicas , religião entre outros.

    Acho incrível como Jason R. recriou essa historia de The 100, e por mais que alguns fans critiquem as mortes e os rumos que a historia esta tomando , eu ACHO genial, tudo o que eu não quero é ver os velhos clichês de series americanas , é isto o que torna THE 100 original e por mais que já tenhamos visto coisas parecidas em outras series, THE 100 supera todas as outras. ( é uma pena a audiência ser tão baixa) a serie merecia mais, mas talvez se tivesse muita audiência, os caminhos seriam outros….

    No final dessa 3° temporada espero que A.L.I.E vença e a 4° temporada se passe na Cidade da LUZ , pois já vimos o que é o mundo dos terras firmes, seria fascinante se a historia toma-se o rumo em direção a cidade da LUZ.

  • Marcos de Mello

    Ótima matéria, parabéns!

  • Brian Lewin

    será que aquele lugares que aparecem na abertura ainda irão aparecer na serie? tipo a montanha russa e a estatua da liberdade.. porque a polis aparece e Plataforma petrolífera apareceu no ep 13..

  • André Sousa

    Só não consegui entender até hoje, como o Jaha, conseguiu ver ela, se ele nem ao menos tomou o chip?

    • Brian Lewin

      eu me perguntei isso essa semana kkkkkkk

    • Maria Laura

      Não só o Jaha, o Murphy quando chegou na mansão também viu e conversou com ela, acho que é algo relacionado a mansão, lá dentro provavelmente ela pode aparecer pra qualquer pessoa.

    • Leonardo Sousa

      ele viu ela pela primeira vez através de holograma.

  • Gilmara Da Silva Reis

    Ahhh A ALIE com esse vestido vermelho é praticamente o Diabo virtual de vermelho kkk

  • Leonardo Sousa

    quero saber é pq não ta passando mais na MTV… so passou até o 9º Episódio da terceira Temporada.

  • Celio Azevedo

    Alie jamais faria isso na vida real pois a superpopulação é um mito.