Rothenberg defende e explica os atos de Bellamy

Rothenberg defende e explica os atos de Bellamy

Os personagens de The 100 são constantemente colocados em situações impossíveis, nas quais são forçados a tomar medidas terríveis. Isso é algo que os telespectadores sabem e amam na série da CW. Entretanto, para muitos fãs, a decisão de Bellamy (Bob Morley) de se juntar ao intolerante Pike (Mike A. Beach) ultrapassou qualquer limite.

Há acusações que Bellamy – que sabe em primeira mão a culpa que toma conta da pessoa ao cometer um genocídio – não iria apoiar e participar do massacre aos grounders feito por Pike, principalmente os grounders que foram enviados à Arkadia como aliados e proteção. E enquanto Bellamy expressa suas dúvidas quanto aos métodos do Pike e age da sua maneira para poupar a vida da Indra (Adina Porter), ele ultimamente continua a seguir as ordens de Pike, mesmo indo tão longe ao trair Clarke (Eliza Taylor) e Lincoln (Ricky Whittle)
Mas o criador de The 100, Jason Rothenberg defende o enredo de Bellamy, explicando que é tudo uma maneira de perspectiva.

“Eu acho que as pessoas que acreditam que o Bellamy não está agindo conforme o personagem não estão vendo o grande retrato da série,” disse Rothenberg.

Rothenberg é rápido ao apontar que enquanto nós, como audiência, passamos bastante tempo conhecendo os grounders, Bellamy não teve essa oportunidade.
Quando Clarke estava conhecendo Lexa (Alycia Debnam-Carey) na temporada passada, Bellamy estava dentro de Mount Weather, um lugar em que Lexa no final acabou abandonando ele e o resto do povo do céu para morrer. E enquanto Octavia (Marie Avgeropoulos) possa ainda idolatrar Indra, Bellamy não esqueceu que a mentora de sua irmã também a abandonou na mina.

“A relação de Bellamy com os grounders nunca foi uma maravilha e ele não acredita, conforme a história está agora, que eles vão manter a palavra, porque eles nunca fizeram isso antes,” explica Rothenberg. “[A paz do exército grounder] foi criada pela mesma pessoa que os estava matando na 1ª temporada. Então, para Bellamy, você ainda adiciona isso… a explosão em Mount Weather no episódio 3, a perda de todo aquele povo que ele devia proteger… e, é claro, também houve um pouco de dor pessoal extra para de porque [Gina] também foi morta. Isso tudo para mim se une para um cara fazendo uma escolha sensata,” o produtor continua. “Então eu gosto do debate e entendo as reações das pessoas. Acho que fizemos um trabalho incrível com Bellamy como um personagem nas 2 primeiras temporadas para as pessoas acreditarem que ele é um mocinho. Mas, ultimamente, não há mocinhos. E ele está tomando as decisões que ele acha que devem ser tomadas. Eu acho que ele irá viver se arrependendo dessas escolhas. Mas teremos que ver como vai se desenrolar.”

© Tradução: Nany  Vianna – Equipe The 100 Brasil – Não reproduza sem os créditos