Ricky Whittle comenta que Jason Rothenberg o intimidou a sair de The 100

Ricky Whittle comenta que Jason Rothenberg o intimidou a sair de The 100

Ricky Whittle falou com AfterBuzz TV na terça-feira à noite — cujo personagem favorito dos fãs, Lincoln, foi morto no dia 31 de março — e revelou que foi sua escolha deixar a série de drama da CW, mas somente porque ele sentiu que essa era a sua única escolha.

“No começo da temporada, Lincoln teve uma enorme história que foi cortada, que foi totalmente inexistente,” ele revelou, alegando que o criador da série, Jason Rothenberg, “abusou da sua posição fazendo com que seu trabalho fosse insustentável… Ele estava me intimidando, e o que estava fazendo era nojento e deveria ter vergonha disso… Ele profissionalmente estava me assediando moralmente, cortando todos enredos dos quais eu deveria fazer parte, cortando falas, cortando extremamente tudo, tentando fazer com que eu e meu personagem fossemos o mais insignificante possível.”

E Whittle, que está escalado na nova série da Starz, American Gods, discorda mais do que apenas a história de Lincoln. Ele fala que Lexa “era uma personagem incrível para ser morta por uma bala perdida,” e que tornando Pike em um vilão “tirou completamente a complexidade do personagem”.

Apesar de seus fortes sentimentos sobre a direção que a série está tomando, bem sobre como o seu personagem foi tratado, Whittle incentiva os fãs a não desistirem de The 100.

“Vocês tem que se lembrar que ainda temos uma líder bissexual [Eliza Taylor como Clarke], ainda temos Bryan e Miller, temos vários personagens negros que estão no poder, temos mulheres poderosas. Literalmente, a série tem tudo, então continuem. Continuem com a minha família. Continuem com os meus amigos.”

© Tradução: Andressa Montagna – Equipe The 100 Brasil – Não reproduza sem os créditos