Review – 2×13: Resurrection

Review – 2×13: Resurrection

The 100 continua caminhando extremamente bem em direção ao encerramento do seu arco principal. A tão esperada guerra entre os Grounders e Mount Weather está mais próxima do que nunca e promete ser tão explosiva quanto tudo o que já vimos no show.

Na semana passada vimos um míssil devastar Tondc, muitas vidas foram perdidas e mais sangue escorreu pelas mãos da Clarke. Apesar de sabermos que certos sacrifícios são necessários para que o plano continue operante, é muito difícil não nos sensibilizarmos com a dor que a personagem estava sentindo naquele momento. Assim como na morte do Finn, Clarke tomou a decisão mais acertada, mesmo contrariando outros (como foi o caso de sua mãe). O peso na consciência, o pensamento de que poderia fazer tudo de um outra forma, o lamento pelas vidas que se foram, tudo isso ficou bem explicito na confusão e fúria da personagem.

Lexa já está acostumada a lidar com situações que exigem decisões difíceis, e a presença dela ao lado da Clarke se transforma numa segurança que a garota precisa. Apesar da Comandante ter assumido a liderança do seu povo recentemente, ela conviveu com esse tipo de atitude (de postura, pra ser mais exato) sua vida toda, então ela compreende bem que sacrifícios precisam ser feitos se quiserem alcançar o sucesso.

Em meio à confusão, os sobreviventes se uniram para ajudar os feridos. Essas cenas serviram para focar em duas questões especificas, a primeira delas se dá pelo reconhecimento da Abby que a decisão de sua filha não fora tão diferente da que eles tomaram um dia na arca. Kane, mesmo ferido, a lembrou de todos os sacrifícios que cometeram para manter o sistema lá em cima funcionando. A segunda questão fica por conta da crescente interação entre os Grounders e as pessoas da Arca. Aos poucos os dois povos estão deixando suas diferenças de lado e trabalhando juntos para o que realmente importa. Como vimos no breve discurso da Lexa, eles usarão a raiva daquele ataque para ir com tudo contra Mount Weather. Nós já estamos preparando o refrigerante e a pipoca para assistir de camarote a explosão dessa guerra.

The 100 2x13

Dentro das barreiras inimigas, os nossos jovens prisioneiros fizeram um melhor trabalho do que na semana passada. Finalmente eles agiram com força e evitaram que os soldados invadissem e retomassem o controle de tudo. Bellamy, com a ajuda de Maya, foi dando seguimento ao seu trabalho e eliminou as ameaças que poderiam dificultar suas ações. Foi nesse momento que conhecemos que há uma história muito grande por trás da Maya. A mãe da garota lutara contra a prática de uso do sangue e ela seguiu seus passos. Felizmente podemos respirar tranquilos, pois sabemos que ela não trairá os garotos mais tarde.

Esse disfarce do Bellamy está demorando muito para ser revelado, mas acredito que depois da fuga dos garotos e desse refúgio improvisado nas casas de alguns militantes, tenho certeza que será o momento certo para que a posição do impostor seja comprometida. Mas espero que dê tempo dele chegar até as jaulas e libertar os Grounders que ali estão prisioneiros.

Enfim, espero que tenham gostado do episódio e que queiram deixar as suas impressões.

Até breve.

Obs.:

  • A Indra pode ser durona e cabeça dura, mas felizmente, ela sabe reconhecer a disposição de alguém em salvar sua vida.
  • Somente eu sinto um clima fora do comum entre Abby e Kane?
  • Dayane

    Eu realmente gostei muito desse ep, Mas queria destacar a Maya. No começo ela me parecia apenas uma menina apaixonada pelo Jasper, e hoje vimos que tem um historia forte e maravilhosa em relação a isso tudo! Mas, com a guerra vindo, como ficará Maya? ela não poderá fugir com eles, pois não pode se expor. Será que Jasper, usara a própria técnica da medula para colocar ela fora da montanha?
    No momento, a “frágil” menina Maya tem sido a grata surpresa, e talvez veremos decisões importantes sobre ela!! Espero que ela sobreviva, pois sem ela, os “The 100” já não estariam mais vivos