Review – 2×11: Coup de Grâce

Review – 2×11: Coup de Grâce

Seria repetitivo demais vir aqui semanalmente e tecer uma trama de elogios pelo o bom desenvolvimento de The 100? Eu mesmo respondo: Sim. Mas não há como ser diferente, pois parece que a série não abre brechas para que apontemos defeitos. O show vem surpreendendo a todos nessa segunda temporada, provando que a CW acertou em ter concedido a chance dos produtores mostrarem seu potencial. E nós, o que fazemos? Apenas agradecemos.

É muito gratificante acompanhar uma série que entrega episódios contagiantes e que nos transportam para dentro da trama, nos fazendo sentir como um dos personagens. A forma como The 100 se desenvolve é extremamente envolvente, até mesmo nos seus episódios mais fracos, como foi o caso do que fora exibido na semana anterior. Mesmo levando um perfil diferente do que estamos acostumados a acompanhar, sempre com muita ação e ótimos twists, os episódios mais mornos carregam pontos essenciais que dão abertura para o desenvolvimento da trama principal, e foi graças a um desses pontos que nos deliciamos em “Coup de Grâce”.

Bellamy cumpriu com sucesso a sua missão de se infiltrar em Mount Weather, e isso rendeu ótimas cenas de abertura, sem contar todo o processo de libertação com a ajuda da Maya. Confesso a vocês que até o final da primeira temporada eu não era um grande fã do personagem, porém, as ações dele ao decorrer do tempo me fizeram observa-lo com mais atenção, e admira-lo. Bellamy tem se arriscado bastante para proteger seu povo, e junto com a Clarke os dois vem segurando as rédeas dessa situação da melhor maneira que podem. Decisões difíceis devem ser tomadas e muitas delas assombrarão os mesmos pelo resto de suas vidas. Assim como Clarke não esquecerá da morte do Finn, Bellamy também jamais esquecerá o olhar inocente do pequeno menino falando todo animado sobre o pai que, minutos mais cedo, havia sido morto pelas suas mãos.

The 1002x11

Não é querendo justificar, mas foi uma situação inevitável. Ou ele deixaria o soldado vivo e arriscaria sua presença na base inimiga, ou ele mataria o rapaz e garantiria um tempo maior lá dentro para libertar seus amigos. Conviver com essas constantes decisões não deve ser nada fácil, e é preciso muita coragem para seguir em frente depois disso. Felizmente, pelo menos por enquanto, o plano da Clarke está funcionando. Temos um infiltrado dentro de Mount Weather capaz de dar início à uma guerra dentro da casa do inimigo. Querendo ou não, MW criou um cavalo de Tróia por conta própria e nem sequer perceberam.

Porém, como nada na vida dos mocinhos é moleza, um “golpe de Estado” foi extremamente bem executado dentro do abrigo. Dante mostrou-se benevolente ao perceber o que estavam fazendo com os jovens da Arca e se dispôs a libertar todos. Infelizmente, seu filho já havia comprado todo os mente fracas e assumiu o comando das instalações e se autodeclarou o novo presidente. De certa forma as intenções dele são compreensíveis, pois ele quer favorecer ao seu povo a chance de sair daquele abrigo. Porém, a forma como ele encontrou para fazer isso extrapola os limites da paciência humana. Prevejo que ele será um problema enorme para Clarke e Lexa nos próximos episódios.

The 100 - 2x11

Falando na Clarke… aproveito esse momento para expressar a minha admiração por ela. Na verdade, todas as mulheres dessa série são extremamente bem construídas e pés no chão, cientes dos seus deveres e do que podem ou não fazer. Porém, Clarke se destaca por conta da sua garra e da sua segurança em suas decisões. Vê-la confrontando a mãe daquela forma (você pode ser a Chancellor, mas quem comanda aqui sou eu), foi uma das melhores cenas do episódio, quiçá, de toda a série.

Entre Jaha e Kane, Abby sempre se destacou aos meus olhos como líder nata daquele povo. Porém, ela muitas vezes deixa o receio falar mais alto, e isso complica demais as suas decisões. Vê-la querendo tratar a filha como uma criança, depois de tudo o que ela atravessou até aquele dito momento, foi pedir para levar um belo “cai na real” da mesma. Clarke deixou de ser criança quando foi jogada junto com seus colegas como ratos de laboratório para uma Terra, até então, inabitável. De forma natural, junto com o Bellamy, eles se destacaram como os líderes… negar isso só pelo fato de serem “adultos”, só prova o quanto eles são equivocados.

Vamos torcer para que todo o plano dê certo. Pela promo do próximo episódio, podemos ver que o novo presidente pretende dizimar os Grounders feat. Arch People com um míssil teleguiado.

Pudemos ver nesse episódio que a relação crítica com os Grounders e o pessoal da arca permaneceu num clima mais ameno. Se eles realmente pretender trabalhar juntos e fazer essa vingança funcionar, os dois povos terão que manter esse clima. Senti falta da Lexa.

Espero que tenham gostado e que queiram comentar.

Até breve.

Obs.:

  • Bellarke… ninguém sai!
  • Cadê o Lincoln?
  • Vocês acham que a Octavia terminaria o serviço como a Indra a instruiu?
  • Thales

    Esse episódio foi demais! Uma coisa que não fazia a tempos eu fiz ontem, que foi assistir o episódio com legendas em inglês. Estou tão contaminado com a trama da série, que não consigo mais esperar. Ansiedade me corroendo!
    Tenho acompanhados os reviews daqui do site a alguns episódios, e estou gostando bastante. Parabéns para o escritor. 😀

    • Carlinhos Maldonatto

      Thales, obrigado por comentar… fico feliz que esteja gostando dos textos, assim como dos episódios.
      Eu acabei acostumando assistir todas as minhas séries sem legenda, pois ajuda bastante para aprendermos o inglês.

      Tenta assistir sempre com a legenda em Inglês pra você ir se acostumando, depois você para de usar e nem vai perceber a diferença.

      Até breve.

  • Júlia Maira

    Adorei a review e, sinceramente, eu não poderia ter colocado de forma melhor tudo o que você escreveu. Poucas produções dão tanta importância a personagens femininas como The 100 dá. A Octavia também está me surpreendendo esta temporada. Clarke eu já sabia que era forte, mas Octavia? Ela também está crescendo muito como personagem.

    • Carlinhos Maldonatto

      Júlia, The 100 veio nos surpreender em tudo. O trabalho com os personagens está incrível, e as mulheres estão recebendo todo o destaque.
      A Octavia é uma com extremo potencial, e espero que saibam utiliza-la bem.

      Obrigado por comentar.