O que acontecerá com Raven, Bellamy e Lexa depois de suas recentes decisões?

O que acontecerá com Raven, Bellamy e Lexa depois de suas recentes decisões?

Alguns grandes acontecimentos estão se desenrolando em The 100 no momento, já que a decisão de Bellamy de ajudar Pike a massacrar o exército Grounder enviado para proteger Arkadia causou grandes discussões entre antigos aliados, incluindo Clarke (Eliza Taylor) e Bellamy (Bob Morley). Lexa (Alycia Debnam-Carey) estava pretendendo atacar Arkadia como retaliação, mas Clarke a convenceu a não responder com mais violência – resta saber como essa escolha será recebida por aqueles que seguem Lexa.

Além disso, Raven (Lindsey Morgan), ainda sofrendo muito por causa de sua perna machucada, experimentou o chip que Jaha (Isaiah Washington) deu a ela – fazendo com que ela visse A.L.I.E (Erica Cerra) pela primeira vez.

Um pouco depois do produtor executivo de The 100, Jason Rothenberg gravar um episódio do IGN’s Channel Surfing sobre a série, eu fiz algumas questões extras a ele, considerando o episódio da semana passada, sobre o que vem por aí para Raven, Bellamy e Lexa, agora que eles três fizeram essas importantes escolhas.

IGN: Raven experimentou o chip e viu Alie, mas ela não tem ideia do que é tudo isso e do que Alie poderia representar, além do que ela ouviu do discurso de Jaha. O que vem pela frente?

Jason Rothenberg: Quando você usa aquele chip — a chave, como Jaha chamou — você é instantaneamente incorporado a uma “consciência coletiva” que toma a forma de Alie. Alie é capaz de acabar com a sua dor. Seu grande objetivo ali é fazer você ficar melhor e mais feliz. É literalmente o que ela está tentando fazer. Alie ainda acredita que está exercendo sua razão de ter sido construída em primeiro lugar, que é fazer o homem melhor. Raven agora não sente mais dor e isso vai ser interessante para ela, eu acho. É difícil falar sobre esse assunto, porque eu não quero dar muito spoiler, mas assim como tudo que nós tentamos fazer nessa série, vai fazer você pensar sobre como talvez isso não seja algo tão ruim. Ela estava com uma dor debilitante ao longo do episódio. Para aliviar essa dor, ela decide ir além. ‘O que ela tem a perder, afinal?’, como Jaha mesmo disse. Claro que haverão consequências. Não serão tudo rosas. Mas, por um tempo, vai ser muito bom pra ela estar livre da dor.

IGN: Houve um momento decisivo entre Bellamy e Clarke no último episódio. Eles colocaram as cartas na mesa, expuseram suas opiniões e sentimentos e trouxeram à tona muita história. Mas então, ele terminou algemando ela e estava pretendendo prendê-la ali…

Rothenberg: Ele acha que está fazendo isso para o bem dela. Acredita que é perigoso [em Polis] e que está mantendo ela presa para protegê-la. É isso que está por trás daquele momento. Eu acho que nesse episódio houveram umas cenas — como aquela entre Bellamy e Kane — onde Bellamy expõe o que ele sente. Ele lembra a quem estiver ouvindo de que o Tri Kru matou 37 de seus amigos antes de Kane sequer chegar à terra. Obviamente essa é uma área de conflito com Lincoln, que está bem ali, e é difícil para Bellamy. É difícil achar uma boa solução… “Eu amo Lincoln, Lincoln é meu amigo, a minha irmã ama Lincoln e agora eu acredito que estamos em perigo por causa dessas pessoas” Além disso, havia uma ordem de morte contra Lincoln. A ordem pode ter sido suspensa mas, na mente de Bellamy, Lincoln é uma exceção, e é alguém que ele está tentando conciliar com sua visão a respeito dos Grounders. Então eu sinto que aquela cena com Clarke a que você está se referindo é onde Bellamy se expõe e nós vemos o nível da dor que ele está sentindo. Isso vai perseguir ele, é humanamente impossível participar de algo assim e não se sentir desse jeito.

De novo, há precedentes históricos de pessoas envolvidas em massacres como esse. Um interruptor se aciona em seu cérebro e você faz esse tipo de coisa. O massacre de My Lai, por exemplo, aconteceu durante horas e horas e horas. Bellamy terá de lidar com algo assim para sempre e eu não tenho certeza de que ele seja recuperável. As pessoas terão de decidir por si mesmas ao assistirem a história. Naquela cena, ele coloca tudo pra fora. Ele diz, “Lexa nos abandonou.” Ele diz todas as coisas que as pessoas precisavam ouvir para entender sua escolha. E algumas pessoas continuarão não concordando com essa escolha, por que eu acho que nós fizemos um bom trabalho dimensionando os Grounders. As pessoas realmente acham que Lexa é uma heroína, mesmo que ela tenha os traído. Elas realmente acham que Indra é boa, mas ela abandonou Octavia não faz muito tempo. É complicado e Bellamy está sofrendo com isso, ele fez uma escolha que o levou para um caminho que o coloca contra Kane, Lincoln, sua irmã e Clarke. É sobre isso que essa temporada é… Como nós resolveremos tudo? Como nós juntaremos o grupo outra vez quando eles estão em lados opostos de uma guerra civil?

IGN: Continuando nesse assunto, a escolha de Bellamy tem sido um fator que dividiu os espectadores — nós falamos no podcast sobre o que eu penso disso — e, claramente, os personagens da série também. Clarke e Octavia, elas ainda vêem ele como alguém que poderá se redimir? E a audiência, e elas também, deveriam esperar por uma luz no fim do túnel?

Rothenberg: Eu espero que sim. Eu espero que as pessoas consigam voltar a torcer por ele, amá-lo novamente. Seus amigos, sua irmã, Kane, Clarke, todos falam o que os espectadores podem estar sentindo. Octavia diz, “Qual é o seu problema?” Kane diz, “Então é isso que você virou?” Clarke diz, “Eu sei que você não quer uma guerra.” As pessoas na audiência estão sentindo isso e isso é bom. Eu acho que a sensação que fica, nesse último episódio, é a de poder dizer, “Não, não estamos doidos. As pessoas da série se sentem assim também. Bellamy, como você pôde fazer isso? Você não vê que eles não são os vilões? Não vê que eles estavam aqui para nos proteger?”

Octavia diz, “Te dá orgulho o fato de que essas pessoas estavam aqui para nos proteger?”. Nós não vamos deixar ele passar impune por isso e eu espero que a audiência também não deixe. Acho que a audiência vai ficar do lado de Clarke, Kane e Octavia, com certeza. Não será fácil. A questão é, na narrativa, o quão longe será que ele vai? Quando ele vai acordar? Quanto Pike vai levá-lo a fazer e ainda tê-lo como seguidor? Bellamy é um seguidor. Ele é um soldado; um general. Ele precisa ser liderado. Não há nada de errado com isso. Existem muito poucas pessoas que deveriam ser presidente. Também existem muito poucas pessoas que deveriam ser general. Bellamy é um. Ele precisa ser leal ao líder certo. No momento, ele obviamente não é. Mas isso não invalida o que ele fez. Não estou sugerido que “Eu estava seguindo ordens” seja um bom argumento. Não é o caso. Ele nunca vai se livrar dizendo isso. Será uma grande jornada dramática.

IGN: Lexa fez uma grande escolha ao decidir não atacar Arkadia. Sangue não terá sangue. Quais serão as consequências disso? Nós vimos na segunda temporada que Lexa já era considerada liberal pelos padrões Grounders. Indra já a desafiou antes. Lexa acabou de conseguir sua autoridade de volta, como costumava ser. Seu povo sentiu que ela havia perdido a força e ela provou-se forte novamente. Mas como os Grounders, como um todo, reagirão a essa decisão? Finn foi condenado por o que ele fez e, logicamente, Pike seria condenado por isso também – embora capturá-lo fosse ser mais difícil.

Rothenberg: Pike será condenado e capturá-lo será muito mais difícil porque ele está no comando e tem armas. Lexa é liberal, de certo modo. Ela uniu clãs de guerreiros juntos contra um inimigo. Mount Weather foi uma ameaça que a permitiu fazer isso. Nessa temporada vemos ela lidando com a instabilidade política que essa junção causou. Ela conseguiu sua autoridade de volta ao matar a rainha de Azgeda, mas sua influência agora… Clarke é uma conselheira para Lexa nesse ponto, ela confia em Clarke e é levada por seus conselhos nesse episódio. Mas Clarke só está tentando despertar algo que já estava dentro Lexa de qualquer modo – o desejo de paz. Tendo sido atacada no episódio cinco do jeito que foram, como Clarke disse, ela teria todo o direito de atacar Arkadia e matar a todos. É assim que as coisas tem sido feitas desde sempre. Mas também é uma oportunidade de dar a outra face e se mostrar diferente. Se você acredita na paz, essa é sua chance. Infelizmente, isso significa que Pike tem que reconhecer o que ela fez e ficar tipo “Ok, tudo bem. Eu entendi.” E se desarmar. E é claro que Pike não vai dizer “Certo, estamos bem e então agora eu confio em você.”. Pike quer estabelecer uma nação. Ele quer ser auto-sustentável e prosperar em paz. E ele vai matar para isso se precisar. O precedente histórico já existe. Infelizmente, esse é o jeito que, às vezes, algumas nações são formadas. Ele vai continuar fazendo isso e com certeza vai colocar à prova essa nova filosofia de Lexa.

© Tradução: Lia Barcellos – Equipe The 100 Brasil – Não reproduza sem os créditos.

Nos sigam no twitter @The100Brazil e nos curtam no facebook para mais informações!