Jason Rothenberg fala sobre o que podemos esperar sobre o episódio de hoje “Thirteen” e mais!

Jason Rothenberg fala sobre o que podemos esperar sobre o episódio de hoje “Thirteen” e mais!

Não achamos que você esteja preparado para essa notícia. E sobre notícia, queremos dizer sobre o episódio de The 100. Obviamente.

Muitas perguntas serão respondidas no episódio desta noite, nos deixando com novas perguntas após nós finalmente termos descoberto como e porquê o mundo acabou há exatos cem anos atrás, o que significa também que várias pontas soltas estão prestes a ficarem amarradas de uma maneira que você não consegue nem imaginar.

É o episódio mais importante desta temporada, e provavelmente vai mudar o jogo daqui para frente. Se pudêssemos falar que todas essas mudanças vão ser para o bem de nossos personagens, nós iríamos falar, mas é The 100, e mudanças boas dificilmente são encontrada nesse programa.

No final do episódio da semana passada, nós descobrimos de Jaha (Isaiah Washington), afirmou que definitivamente havia uma 13ª Estação no espaço antes do primeiro Dia da União. Era chamada de Polaris, e por alguma razão, Polaris se recusou a se juntar as outras doze estações para se tornarem uma estação unificada. E como resultado, foi destruída, junto com todos que estavam dentro.

Voltando para Polis, onde Murphy (Richard Harmon) está sendo torturado por Titus (Neil Sandilands), se encontra um pedaço desta Estação. Podemos ler “Polaris,” tirando o fato de que o “A” e o “R” estão queimados, nos deixando para trás com a palavra “Polis.”

Como podemos constatar, Polaris e o fim do mundo estão conectadas, e o episódio de hoje vai explicar porquê.

O Produtor Executivo, Jason Rothenberg, não poderia deixar de nos instigar antes do episódio intenso de hoje à noite, mas conseguimos tirar alguns relatos dele que podem ajudar você a passar por essa maré que “Thirteen” irá ser.

“Quando começamos a temporada, eu tinha essas duas grandes histórias separadas,” Rothenberg explica para o E!News. “Uma era tudo o que está acontecendo em Polis e as políticas dos Terra-firmes e o conflito entre os clãs e como Skikru se encaixava em tudo isso, e a outra era a história de AI, e eu realmente queria que houvesse um momento em que ambas se colidissem.”

Estas duas grandes histórias realmente se colidem no episódio de hoje, e podemos agradecer em parte pelos flashbacks que teremos que basicamente irão explicar como chegamos nos dias atuais.

“Eu amo histórias originais, e em algum nível, esta é a história original da série,”Rothenberg nos diz. “Veremos como o mundo acabou, o que nos guiará para a formação da Arca na história do flashback de hoje à noite, de onde os nossos heróis vieram, obviamente.”

O “fim do mundo” é uma história crucial na série, mas não é somente essa parte. Becca (Erica Cerra), cujo sabemos que é a responsável por ter criado A.L.I.E, claramente também tem alguma conexão a recente obsessão de Jaha: a Cidade da Luz.

Ainda não sabemos exatamente o que a Cidade da Luz é ou faz, mas sabemos que uma vez que a pessoa ingere o chip — ou a chave, como diria Jaha — a dor vai embora e eles podem ver e interagir com A.L.I.E.

“Estamos indo aos poucos, mas certamente começando a revelar o modo que o chip, como gostamos de falar, funciona. Sabemos até agora que acaba com a sua dor, suas memórias ruins,” Rothenberg diz. “Eu fiquei fascinado com a memória e com a ideia de que quando algo trágico acontece, como a perda de um filho por exemplo, fica impossível de se ter memórias boas, porque qualquer memória boa que você já teve é danificada por essa tragédia. Então Jaha não se lembra de Wells porque no momento em que ele aceitou esse fado, para livrar-se da dor, A.L.I.E tirou qualquer lembrança de Wells, porque até mesmo as memórias boas estavam conectadas com as ruins.”

E se alguém está em sofrimento, então esse alguém são todos os personagens de The 100. Como Rothenberg (e todos que estão ligados à série) já disseram várias vezes: “Ninguém está à salvo.” Isso significa que qualquer pessoa pode morrer a qualquer momento, e muitos já morreram até agora. As pessoas que eles deixaram para trás não tiveram muito tempo para se lamentar, e por isso, uma solução rápida soa como uma grande ideia.

“Isto é algo que iremos continuar trilhando enquanto começamos a descarregar mais e mais sobre o que A.L.I.E pode fazer uma vez que você aceitar a chave e o que significa realmente estar na Cidade da Luz. Ainda não contamos muito sobre essa história. E ela apenas vai começar a ficar mais e mais importante a partir de agora.”

O episódio de hoje à noite também força Clarke (Eliza Taylor) e Lexa (Alycia Debnam-Carey) a trabalhar duro em seu último problema e para onde ir a seguir, desde que Skikru atualmente está em uma desordem total graças à tirania violenta de Pike (Michael Beach) e o fato de que todos parecem estar ligados à A.L.I.E.

Confie em nós quando dizemos que você irá querer ver esse episódio ao vivo ou pelo menos você deveria ficar longe do Twitter.

© Tradução: Andressa Montagna – Equipe The 100 Brasil – Não reproduza sem os créditos