Jason Rothenberg diz que “Thirteen” revolucionará a série

Jason Rothenberg diz que “Thirteen” revolucionará a série

O episódio desta semana, intitulado “Thirteen“, é o mais importante da temporada e da série em geral. O Produtor executivo Jason Rothenberg foi gentil o suficiente para conversar com o pessoal do AfterEllen sobre o que nos aguarda essa semana (sem dar spoilers!) e discutir sobre a série em geral.

Afterellen: Primeiro de tudo, eu assisti ao episódio e foi um dos mais intensos episódios de televisão que eu já vi, foi incrível.

Jason Rothenberg: Isso é bom! Estou feliz de ouvir você dizer isso.

AE: Como não podemos entregar muita coisa, quais são as três palavras que você usaria para descrever o episódio?

JR: Oh, meu Deus. Três palavras que eu usaria para descrevê-lo … Eu acho que épico. Eu acho que- que palavra você usaria para descrever a chave de tudo? Crucial! Revolucionário! É isso.

AE: Eu teria dado apenas três pontos de exclamação, então você se saiu melhor do que eu. Uma coisa que podemos falar são os flashbacks. Flashbacks não têm sido parte da narrativa por um tempo. O que fez você decidir voltar para os flashbacks do fim do mundo deste episódio?

JR: Bem, flashbacks são definitivamente um lápis em nossa caixa de lápis de cor. Nós os usamos várias vezes, creio que quatro, pelo que me recordo. É definitivamente um tipo de narrativa que gostamos de fazer quando há uma razão para isso. Quando há uma história para se contar mas há uma perspectiva muito diferente que precisa ser dada, nos levando para esse mundo. Falando sobre esta recapitulação em específico, eu queria contar a história da 13ª Estação há muito tempo. Insinuávamos sobre isso desde a 1ª Temporada, e você sabe, é a história de origem para a nossa série. É como a Arca se reuniu; e como o apocalipse aconteceu. Eu acho que responderemos um monte de perguntas desta forma, mas também em termos da história estaremos contando esta temporada e a inteligência artificial, que é, obviamente, uma enorme chave para a história atual que está sendo contada. Então, tudo isso em conjunto justifica um episódio muito diferente. Quero dizer, você está certa, é um flashback de personagens que não conhecemos nem amamos ainda, e nunca vimos antes. Portanto, é muito, muito diferente, mas acho que será um episódio sensacional para nós.

AE: Sim, com certeza! Veremos mais flashbacks ou iremos juntar os pedaços restantes com Clarke e todos os outros a partir de agora?

JR: Nós não iremos mais voltar para esse período de tempo nesta temporada, então vamos estar juntando os pedaços com os nossos heróis, com Clarke e os outros com certeza. Mas eu acho que há tantos pontos que podem ser ligados com base neste flashback que eu realmente estou ansioso para ver como os fãs da nossa série, que são muito mais inteligentes do que eu, e em muitos casos, mais inteligentes do que os roteiristas, irão interpretá-lo e ligar esses pontos me dizendo o que a história realmente significa.

AE: E eu sei que às vezes, especialmente para grandes episódios como este, spoilers vazam. Como você se sente quando isso acontece?

JR: Sim, obviamente isso é incrivelmente frustrante, porque o estúdio tem um monte de cuidados com os clipes que queremos lançar e coisas que queremos lá fora antes de um episódio ir ao ar. Eu mesmo supervisiono a seleção de todos os clipes para ter certeza de que estamos apenas contando aquilo que achamos suficiente e permitindo que a experiência do público seja preservada, por isso, quando as pessoas fazem coisas como essas de vazar imagens que fornecemos, é incrivelmente frustrante. Francamente, isso não acontece muito; no início da temporada fornecemos os quatro primeiros episódios e tivemos um pequeno problema aqui e ali com as pessoas. Obviamente, essas pessoas não terão esse privilégio novamente. [Risos] Mas sobre este episódio em particular, você está certa, existem grandes episódios que gostamos de fazer isso para que possamos ter conversas como a que estamos tendo agora antes de ir ao ar, então as coisas podem ser escritas tanto antes quanto depois, e a única maneira de fazer isso é deixar as pessoas verem. Então nós só demos esse tempo para as pessoas em que confiamos.

AE: Legal! Falando nisso, a maneira como a internet é hoje, você está ali com os fãs e interage com eles no Twitter, você gosta disso, ou às vezes a negatividade atrapalha?

JR: Eu adoro. Eu acho que é incrível. É definitivamente uma faca de dois gumes. Quando eu era mais jovem, eu não poderia imaginar ficar chateado com um enredo e mandar um e-mail para o criador dessa série ou twittar publicamente para essa pessoa e dizer: “Seu imbecil!“, Sabe? Isso é algo que não era possível há alguns anos atrás. E quanto a negatividade, algumas vezes é difícil de se lidar, eu nunca deixei de ver como outra coisa senão uma benção o fato de nossos fãs serem tão apaixonados, e eu entendo. Este é um episódio que vai gerar uma reação muito intensa, e, em parte, isso é o que estávamos tentando fazer. Raiva, tristeza e todas essas coisas são parte da experiência, é um drama.

AE: Como é na sala dos escritores quando vocês escrevem uma cena ou um episódio como este, que vocês sabem que vai fazer com que todos percam a cabeça?

JR: É engraçado porque nesta temporada, e na primeira, nós éramos uma série de mid-season, o que significa que estávamos escrevendo toda a temporada antes de ir ao ar. Então não há muitos “Oh meu Deus, eles vão nos crucificar por isso!” ou “Eles vão amar isso!” esse tipo de coisa. É só que, nós estamos tentando contar a melhor história que podemos, e honestamente, nos entreter e nos divertir. Se for aprovado por mim, então, geralmente será aprovado para ir ao ar. Dito isto, nós também não somos ingênuos. Há uma grande sequência agora, e nós já antecipamos a reação. A boa notícia é, como eu disse, não iremos reagir semanalmente, porque a temporada já está gravada.

AE: Cada episódio, mas especialmente este em particular, tem o elenco feminino em peso; Clarke, Lexa e Octavia são muito importantes em Thirteen. Vocês simplesmente se sentaram e disseram “Ok, queremos de 5 a 10 personagens femininas mais incríveis que podemos criar“? Ou apenas evoluiu para isso?

JR: Sabe, estamos obviamente muito orgulhosos das mulheres em nossa série, mas não as escrevemos como “personagens femininas” necessariamente. Elas são apenas pessoas. Não há, e eu digo isso o tempo todo, essas coisas de “Qual é o seu sexo?” ou “Qual é a sua orientação sexual?” Ou “Qual é a sua raça?” Isso não importa. É “Você é forte, ou não?” “Você pode salvar minha vida hoje?” ou “Você vai me matar hoje?” Essas são as coisas que dividem as pessoas nesta série. É uma questão de sobrevivência. E ninguém se importa com quem você ama ou com quem você dorme ou de qual cor você é. Talvez por isso as mulheres nesta série são tão fortes, porque nós olhamos para os personagens com essa visão de “Você é fraco ou você é forte?

AE: Aproveitando a deixa, quando vocês decidiram que Clarke seria bissexual e interessada por Lexa, foi uma decisão consciente, pensando que ter seu protagonista fazendo parte da comunidade LGBT seria algo enorme?

JR: Pensando em como isso iria ressoar na comunidade LGBT não era realmente parte do processo em termos de “Uau, isso vai ser muito grande naquela comunidade“. Foi mais sobre como nos sentimos aqui. Nós definitivamente queríamos algo que fosse dramatizado da mesma maneira com que tudo em nosso mundo é dramatizado. Ou seja, não importa! Não importa que ela seja hétero ou gay ou bi. Só importa quem ela ama, para ela. Se ela é um bom caráter ou um mau caráter, ela é fraca ou ela é forte? Isso é um pouco simplista, porque eu percebi que vivemos no mundo real, e no mundo real as pessoas estão lutando por direitos iguais, e é realmente importante. E eu sou parte dessa luta, ajudando a retratar personagens gays e lésbicas e bissexuais, e com certeza estou orgulhoso disso. Mas, novamente, dentro do contexto do universo da série, não é um problema.

AE: O ritmo desta temporada está absolutamente insano. Eu continuo dizendo que cada episódio parece com um final de temporada. Como você tem sido capaz de acompanhar esse ritmo, e você irá mantê-lo pelo resto da 3ª temporada?

JR: [risos] Bem, nós sempre contamos histórias muito rápido, é a maneira que eu gosto de fazer as coisas. Algumas pessoas têm argumentado contra isso, eu sei que tem havido algumas críticas sobre isso, a história de Bellamy nesta temporada, por exemplo. Isso é apenas a maneira com a qual minha mente conta histórias. Eu sinto que cada temporada é seu próprio filme, que é contado em 16 partes. E eu gostaria de ser capaz de remodelar o baralho a cada temporada, expor uma nova parte do mundo, introduzir novos personagens e contar uma nova história. Então, essa rapidez do enredo no início da temporada é necessária em virtude da demanda de contar uma grande história em uma quantidade de tempo pequena. Portanto, respondendo à sua pergunta, nós queremos que cada episódio seja um evento. Precisamos que as coisas aconteçam o tempo todo nessa série, é um mundo agitado, não é uma novela, não é um mundo onde as pessoas podem gastar muito tempo processando seus sentimentos.

AE: Você tem um número ideal de temporadas que você acha que seria necessário para contar plenamente a história? Ou seus planos são de que a série poderia continuar para sempre?

JR: Eu sinto que esta não é o tipo de série que é construída para durar eternamente. Decisões como essa não estão em meu poder, então eu vou contar a história durante quantas temporadas eu estiver interessado. E agora, eu acho que está incrível, eu nunca estive mais feliz criativamente em toda a minha vida. Eu amo esses personagens; Eu amo este mundo. Eu definitivamente vejo um ponto final; se eu pudesse usar uma varinha mágica e controlar as coisas, eu seria capaz de nos levar a um ponto final muito legal na quantidade certa de tempo. Não vou dizer quanto tempo é isso, porque, mais uma vez, isso não é realmente a minha decisão.

AE: Você tem uma cena favorita que nós não conseguimos ver? Algo que você queria ver que acabou não sendo escrito, ou foi escrito e não foi ao ar?

JR: A verdade é que, infelizmente, muitas vezes, os cortes do diretor são muito longos, e nós precisamos reduzir para 42 minutos. Normalmente, fazemos isso cortando o material que não ficou tão bom, por isso, se algo é muito bom, geralmente estará na série. Ocasionalmente, as coisas têm que sair fora, porque você chega naquele ponto em que você está em 46 minutos, e você precisa perder mais. Por exemplo, no último episódio, o 3×06, houve uma cena entre Monroe e Monty, logo depois de Jasper e Abby discutirem sobre se ele deveria ou não tomar o chip. Monty e Monroe estão sentados bebendo juntos e a câmera está sobre eles, os dois compartilharam um pouco sobre o que estava se passando em suas cabeças. Monroe disse: “Eu confio em Bellamy, eu irei seguí-lo.” Monty questionou o que Pike estava fazendo, e o fato de que Clarke e os outros estão do lado oposto, e que sua mãe estava do lado errado, e ele está seguindo-a. Eu realmente gostaria que isso pudesse ter estado na série, porque sinceramente eu acho que as pessoas, com razão, tiveram dúvidas a respeito do porque Monty e Monroe foram naquela missão no 3×06. Eu estou pensando em disponibilizar isso como um clipe para pessoas.

© Tradução: Victória Licastro – Equipe The 100 Brasil – Não reproduza sem os créditos.