23 momentos em que The 100 fez com que Game of Thrones parecesse conto de fadas.

23 momentos em que The 100 fez com que Game of Thrones parecesse conto de fadas.

Nessa semana, foi postada no site da MTV uma matéria comparando (de uma forma descontraída) as séries “The 100” e “Game of Thrones”.

Game of Thrones se tornou extremamente popular por ser aquela série em que mortes e torturas são elementos frequentes e que podem acontecer com qualquer personagem. Já no caso de The 100, muitos ainda julgam como apenas mais um drama adolescente sobre jovens bonitos se pegando em uma floresta pós-apocalíptica.

Para quebrar esse paradigma, a MTV fez uma lista com os 23 momentos em que The 100 fez com que Game of Thrones parecesse “conto de fadas” e que provam que a série de Jason Rothenberg é um dos maiores dramas da televisão atualmente.

1) Quando os “mocinhos” enviam 100 adolescentes para um planeta que eles acreditavam ser inabitável.

Nem precisamos ir além da premissa inicial dessa série para perceber o quão comprometido a moralidade da maioria de seus personagens é. O episódio piloto começa com o governo da Arca decidindo enviar 100 delinquentes juvenis para a Terra, um planeta que ainda acreditam ser inaabitável 97 anos depois de um apocalipse nuclear. Sim, com certeza nós podemos assumir de acordo com nossa experiência de como as coisas na TV funcionam que este pressuposto está errado, mas aparentemente o Conselho não tem acesso ao Netflix nem ao YouTube. A cereja no bolo desse festival de moralidade é o fato de que, dois jovens desta lista são filhos de membros do conselho, o que significa que Jaha e Abby estão enviando seus próprios filhos para uma provável e macabra morte.

2) Quando Clarke matou Atom misericordiamente depois de ser queimado pela névoa ácida.

Muito antes de explicarem a existência do sistema de defesa de Monte Weather, os roteiristas estavam usando-o para matar personagens inocentes. Um minuto, Atom estava beijando Octavia em campos de borboletas, o próximo ele estava implorando a Clarke para matá-lo depois de ser pego em uma onda de névoa ácida. O que separa momentos como este de outras séries que tentam oferecer as mesmas cenas chocantes de morte, é o fato de que, esta morte misericordiosa desencadeou uma série de eventos que terminariam nas mortes de Wells e Charlotte também.

3) Quando uma criança de 12 anos cometeu um assassinato.

A primeira vez que essa série realmente nos fez sentar e tomar conhecimento de sua vontade de: 1) matar qualquer um e 2) transformar qualquer pessoa em um assassino, foi no terceiro episódio, quando a garotinha de 12 anos Charlotte apunhalou Wells no pescoço e ficou assistindo ele sangrar até a morte. Este momento foi trágico não só pela a morte de Wells, mas pelo raciocínio equivocado de Charlotte. O pai de Wells, Presidente Jaha, expulsou os pais de Charlotte da Arca, algo que ela ainda tinha pesadelos sobre. Quando Bellamy incentiva Charlotte para matar seus demônios, a menina leva o conselho ao pé da letra e mata Wells, provando que essas crianças foram forçadas a suportar coisas terríveis muito tempo antes de pousar na Terra.

4) Quando os 100 tentaram enforcar o Murphy.

Nos primeiros episódios da série a mentalidade um tanto quanto “mafiosa” do grupo de sobreviventes culminanou na “decisão” de enforcar Murphy devido a sua suspeita na morte de Wells. Sem julgamento, sem nenhuma sentença. Apenas alguém amarrando uma corda e jogando-a em torno de um galho de árvore. E Bellamy permite que isso aconteça – uma escolha que vai voltar para assombrá-lo mais tarde, quando Murphy tenta enforcá-lo em retaliação. Quando Charlotte admite ser a verdadeira culpada, gera uma nova onda de discussões e histeria.

5) Quando Charlotte pulou de um penhasco.

Charlotte era uma criança profundamente perturbada, mas ela ainda tinha algum senso de certo e errado. Embora nós ficamos chocados ao vê-la matar Wells, estávamos nos preparando emocionalmente para perdoá-la. Porém, The 100 não joga de acordo com as regras da maioria das séries. Pouco tempo depois de matar Wells, Charlotte se joga de um penhasco para poupar o grupo de brigar (e talvez matar uns aos outros) devido a discussão sobre como eles iriam lidar com o seu crime. Poucas outras séries são capazes de registrar tão rapidamente o mesmo nível de dissonância cognitiva emocional como “The 100”. A decisão de Charlotte foi chocante, mas fez todo o sentido dado o que já sabíamos sobre sua personagem. Ao mesmo tempo em que sentimos um senso de justiça (devido ao que ela tinha feito), sentimos uma tragédia. Por fim, a série deu à personagem Charlotte um tipo de atuação que raramente é dado à crianças em histórias. E isso foi tudo em quarto episódio desta série.

6) Quando 320 pessoas desnecessariamente sacrificaram suas vidas.

Mais um exemplo de que The 100 adora quebrar as regras que regem a maioria das séries matando 320 personagens de uma só vez. Essas pessoas escolheram sacrificar-se para dar a seus entes queridos mais oxigênio na estação espacial. Os 100 apressaram-se para avisar a Arca que a Terra é, de fato, habitável, mas mesmo assim, muitos pais morreram pensando em seus filhos, agora órfãos.

7) Quando Bellamy e Clarke torturaram Lincoln para conseguir um antídoto.

A representação de tortura na primeira temporada da série é notável, não só pela maneira em que ela se manifesta implícita e explicitamente nos atos de violência de seus principais protagonistas, mas também na sua completa ineficácia. A tortura não foi capaz de convencer Lincoln a entregar o antídoto para salvar Finn. Em vez disso, Lincoln faz isso por amor, para salvar a vida de Octavia. The 100 é notável por sua capacidade de representar as maneiras em que a violência e a dor não são eficazes, e ao mesmo tempo descrever o quão terríveis são.

8) Quando Clarke queimou 300 Grounders vivos.

Em mais um dos momentos “mate ou seja morto” da série, Clarke decide usar o combustível restante do foguete para incinerar os soldados Grounders que estavam atacando o grupo, definitivamente queimando-os vivos. Embora seja compreensível por ser uma decisão necessária, ainda é uma horrível, porém “The 100” não se importa muito com isso. O episódio tem uma cena dos grounders sendo queimados vivos, e ainda permite que Clarke e o restante da Sky People ver os restos carbonizados dos soldados mortos após o ataque.

9) Quando o povo de Mount Weather desenvolveu um sistema de assassinato e opressão para conseguir sangue Grounder.

Na 2 ª temporada, aprendemos tudo sobre os moradores de Mount Weather, e lembremos desde já, não foi nada bonito. Para quem pensou que eles não passavam de inocentes, descobriu que eles criaram um sistema de assassinato e opressão a fim de cumprir a sua necessidade de sangue Grounder: Os Homens da Montanha criaram os Ceifadores para coletar Grounders e entregá-los ao Mount Weather em troca de uma droga a qual foram viciados. Sendo assim, os homens da montanha usam os Grounderes como bolsas de sangue humanas para curar qualquer morador que tenha sido exposto à luz solar.

10) Quando Finn atirou em um Grounder a sangue frio para que ele não tagarelasse.

No que foi o primeiro sinal de que Finn não era mais o menino compassivo que nós conhecemos na primeira temporada, o rapaz comete os assassinatos de dez adolescentes e um Grounder que ele primeiro torturou em troca de informações (pouco úteis) sobre onde Clarke está estava sendo mantida refém. Isso tudo se passa no mesmo contêiner subterrâneo em que ele e Clarke viveram o seu tão inesquecível encontro amoroso da primeira temporada. Contêiner no qual Clarke e Finn, mais tarde, voltarão, mas apenas para descobrir se Grounder morto ainda está apodrecendo no chão. O que nos deixa uma bela lição de moral: Não deixe caras mortos em seu contêiner do amor.

11) Quando Anya foi morta pelo povo de Clarke momentos depois em que concordou em ajudá-la.

Muito antes de nós conhecermos Lexa, Clarke estava forjando uma aliança duramente conquistada com a líder Grounder Anya. Depois de escaparem juntas de Mount Weather através de um salto suicída e quase espancando uma a outra até a morte, as duas formam uma aliança para tentar fazer seus povos trabalharem em conjunto contra o Mount Weather. Em seguida, os soldados do acampamento Jaha atiram em Anya na frente de Clarke, e arrastam a protagonista (que estava toda suja e sangrenta) de volta ao acampamento sob suspeita de ser uma Grounder. #SkyPeopleFail

12) Quando o interesse amoroso da protagonista principal massacrou uma aldeia inteira.

Esse sim foi tenso. No que talvez tenha sido o exemplo mais eficaz da série de como uma cultura de guerra e violência é capaz de arruinar vidas, uma versão de Finn sofrendo de transtorno de estresse pós-traumático massacra homens desarmados, mulheres e crianças que ele erroneamente acredita estarem fazendo Clarke de refém. Este é um personagem que, na temporada anterior, era uma das pontas de um clássico triângulo amoroso da CW. Semanas mais tarde, ele é um assassino em massa.

13) Quando Lincoln foi transformado em um Canibal.

Mencionamos que o Mount Weather cria viciados chamados de Ceifadores, mas já mencionamos que eles gostam de lanche de carne humana? Pois é, The 100 realmente toca neste ponto quando Lincoln é capturado e transformado em um Ceifador. Bellamy e Octavia o encontram em uma garagem fazendo uma merenda sabor Sky People. Estranho.

14) Quando os Homens da Montanha mataram Sky People para pegar sua medula óssea.

Ok, primeiramente é só o Cage e a Dra. Tsing que capturam os jovens da Sky People e perfuram seus quadris para pegar suas medulas ósseas, mas a partir daí só piora.

15) Quando Clarke matou seu namorado para que ele não fosse torturado até a morte.

Quando os Grounders insistem que a Sky People entregue o Finn para que eles possam exercer sua própria forma de justiça (em outras palavras, uma morte lenta e dolorosa), o grupo se vê com um sério dilema, pois eles precisam dos Grounders para salvar seu povo de Mount Weather. Quando Finn finalmente se entrega, Clarke se depara com decisões pouco atraentes. Ela escolhe o que é mais doloroso para ela e menos doloroso para Finn: Ela o mata, de um modo rápido para que ele não sofra, momentos depois de dizer a ele que o ama também.

16) Quando um macaco arrancou o braço do Major Byrne.

Talvez este episódio do macaco esteja um pouco fora do assunto, mas nos mostra outra série que tem macacos gigantes arrancando partes do corpo das pessoas (outra além de The Flash).

17) Quando Jasper deixa Dra. Tsing para morrer.

Como as coisas vão de mal a pior para a Sky People presa em Mount Weather, Jasper tem que tomar algumas decisões difíceis sobre o quão longe ele é capaz de ir para proteger seus amigos. Quando a força de segurança ataca, ele atira em um dos homens no peito. Embora este seja um ato de auto-defesa, a decisão posterior de Jasper em deixar a Dra. Tsing presa em um nível inundado por radiação ao invés de deixá-la entrar no elevador de segurança é algo mais sombrio.

18) Quando Clarke sacrificou uma aldeia inteira para manter um segredo.

Após a morte de Finn, Clarke está disposta a fazer qualquer coisa para garantir que seus amigos sejam salvos de Mount Weather – inclusive sacrificar uma aldeia Grounder na qual também havia gente do seu próprio povo, a fim de manter a posição de Bellamy como um espião em Mount Weather em segredo . Embora Clarke pareça se arrepender de não ter advertido seus amigos sobre o míssil que Mount Weather lançou em Tondc, não é aparente o fato de que ela mudaria sua decisão caso tivesse a oportunidade. E esta é a personagem principal de The 100, pessoas.

19) Quando Jaha sacrificou um adolescente para um monstro marinho para se salvar.

Jaha sempre foi do tipo que sacrifica a minoria para o bem da maioria, mas é algo extremamente revoltante ele alimentar um monstro marinho com um adolescente a fim de salvar a si mesmo, Murphy, e sua preciosa missão de chegar a Cidade da Luz. São essas atitudes que vão dificultar a sua reeleição para Chanceler, sabe Jaha?

20) Quando os Homens da Montanha mataram seu próprio povo por abrigar a Sky People.

Embora não exista nenhum estereótipo de herói em The 100, definitivamente existem caras que saltaram para fora do trem da moralidade. Um desses caras é Cage Wallace. Quando os homens da montanha que apoiavam a Sky People começaram a escondê-los em suas casas, Cage ordenou uma busca. Caso fossem encontrados, os soldados de Cage atiravam naqueles que estavam os abrigando.

21) Quando Lexa deixou a Sky People para morrer a fim de salvar seu povo.

Algo que The 100 faz incrivelmente bem é representar o relativismo moral da palavra “lados”. No final da 2ª temporada, Lexa desiste de sua aliança com a Clarke e a Sky People, quando eles estão prestes a atacar Mount Weather, pois lhe é dada uma oferta melhor: abandonar a Sky People em troca da libertação de seu povo. Lembrando que se fosse dada a mesma opção para a Clarke, poderíamos muito bem vê-la considerando afinal de contas isso é The 100: Não existem “mocinhos” aqui. Somente lealdades.

22) Quando Clarke matou Dante Wallace.

Embora o assassinato de Dante Wallace ficou um tanto ofuscado diante das outras ações de Clarke no final da segunda temporada, foi difícil de assistir. Mesmo tendo sido inicialmente apresentado como um antagonista da série, ele se tornou muito mais complexo do que isso com o passar do tempo. De muitas maneiras, ele era semelhante a Clarke (e não estamos falando apenas da afinidade artística dos dois). Ele era um homem que tentava o seu melhor para manter o seu povo vivo. A decisão de Clarke em matá-lo para provar ao seu filho que ela estava falando sério sobre matar o resto do Mount Weather, é algo a maioria das séries jamais permitiria a um protagonista – muito menos se ele for uma menina, linda, loira e adolescente . Felizmente The 100 não segue a regra dessas séries.

23) Quando Clarke e Bellamy mataram toda uma sociedade para salvar seus entes queridos.

The 100 mostrou um excesso de boa vontade ao permitir seus protagonistas adolescentes fazerem coisas terríveis em nome de salvar aqueles que amam, tendo Clarke e Bellamy matando cada homem, mulher e criança em Mount Weather a fim de salvar seu povo da colheita de medula óssea. Icluindo Maya, quem tornou a sobrevivência de Bellamy possível; incluindo todos os Homens da Montanha que colocaram em risco suas vidas abrigando a Sky People; incluindo crianças inocentes que chamavam Mount Weather de lar. Esta decisão não é apresentado como a única opção (porque há sempre outras opções), mas é apresentada como necessária se Clarke e Bellamy quisessem salvar seus entes queridos – e esta é uma distinção importante.

“The 100” é uma série a qual não tem a pretensão de que seus protagonistas sejam heróis. Não tem a pretensão de glorificar a violência, independente de quem a pratica ou do quão lógica ela possa parecer diante dos objetivos dos protagonistas. Mesmo quando “The 100” nos convence de que nós provavelmente faríamos exatamente a mesma coisa se estivéssemos nas mesmas posições terríveis desses personagens, nos faz refletir a respeito do peso insuportável que elas podem nos deixar.

  • The 100 ♥

  • Camila Resende

    A partir do meio da primeira temporada e a segunda inteira The 100 tem se mostrado uma serie surpreendente,o rumo que a série tomou foi inesperado para mim,mas mesmo no lado violento da série eles não perderam a linha da historia,muito menos o sentido,e nenhuma morte foi sem sentido,e isso é o que eu gosto na série,essa capacidade de surpreender sem perder a linha. #amothe100 #bellarkeshipper

    http://mochileiradagalaxia.blogspot.com.br/

    • Bia Miranda

      A morte da Lexa e do Lincoln foi desnecessária…

  • FelipeMattos

    Que droga vocês tão usando? Também quero! Como comparar GOT? Com isso? rsrsrs

    • Ramon Rodrigues

      Se fuder cara 🙂

    • kkkk leva na esportiva cara.

    • Derp Tricolor

      Tão se drogando, só pode…. The 100 é bomzinho… Mas Got è a série mais assistida no mundo… A mais foda!

      • Apaixonado Por Books/ Cauê Jes

        ST SUPEROU ‘-‘

  • Só li fatos, beijão.

  • Suélen

    Assisto as duas séries e gosto das duas mas daí comparar The 100 com GoT já é demais gente.

    • Leve na esportiva kkkk

    • Derp Tricolor

      è a erva daninha fazendo efeito… só pode!

  • Tainan

    23 razões pra amar e respeitar essa série, que surpreendeu um monte de gente e calou a boca de outros tantos!

  • Belle S

    OK são 23 razões q mostram q The 100 n e brincadeira. Mas Gane of Thrones continua ser pior afinal Spoiler season 6- uma menina de 9 anos foi queimada viva pelo próprio pai. No primeiro episódio um menino de 12 quase morreu e n esquecemos da relação entre Joffrey e Sansa!

    • Concordo mas a season 6 só estreia ano que vem. Você está falando da season 5.

      • Belle S

        Ah coloquei o número errado kkk obrigada por apontar isso

    • Derp Tricolor

      Fora as decapitações dos mocinhos…. as facadas na barriga das gravidas… Quando the 100 mata a Clarke decapitada ou queimada eu começo e pensa no caso!

  • Moss

    Resumindo, ele só fazem merda

  • Pingback: [SPOILERS] O que veremos nos 4 primeiros episódios? - The 100 Brasil()

  • Derp Tricolor

    Comparar the 100 com GoT é a mesma coisa que comparar bife com churrasco…. Bife até que é bom, mas churrasco é muito melhor!

  • Sávio Dantas

    vcs estao fumando oque????
    GOT – casa bolton …a bandeira deles tem um homem esfolado…eles esfolam todos so inimigos até crianças e velhinhas … arrancou o pênis do theon e transformou elee em escravo…fez o cachorro comer uma menina viva na floresta isso to falando só de uma personagem da casa bolton….no começo da serie um dos stark é arremessado da torre… o rei do norte quando morre eles tirou a cabeça e colocou a de um loobo no lugar…o rei da casa baratheon queimou a propia filha viva…olha chega vou parar por aqui kkkkkkkkk…e deixar the 100 brincar de tarzan!

    Só um pequeno detalhe
    The 100 – classificação indicativa ( para menores de 14 anos)
    game of thornes – Classficação indicativa ( maiorers de 17 acompanhados com os pais)

    (assisto as duas series)

    • Mike Souza

      Não precisa dizer mais nada ne nom? kkkkkkkk Só levando essa
      matéria na esportiva mesmo.

  • Lucas Gonçalves

    gosto dos the 100 mas game of thrones é outro nível!!

  • Vini Guedes Santos

    Achei a série chata, estou na primeira temporada e não pretendo seguir em frente. Essa protagonista é uma chatice. Realmente tem que ser comparado de forma bem descontraída, pois nunca chegaria aos pés de GOT. Parece uma série da Disney com mais tempo de duração.

    • continua q vai ficar melhor

      • Vini Guedes Santos

        Deuzumlivre que eu perco meu tempo com essa série cocô, tendo tanta série boa pra ver, corajoso você hein!

  • assisto a serie, curto muito mesmo. mas nunca em hipótese nenhuma, essa situações foram capazes de superar a morte de ned, ou o casamento vermelho, ou daenerys tacando o dracarys no krasnys mo nakloz, ou o episodio hardhome, ou a batalha da baia dos escravos, ou a batalha da baia da agua negra, ou Cercei tacando fogo no septo de Baelor.
    The 100 é uma serie incrível. e me surpreendeu bastante, to ansioso para a próxima temporada.
    Mas baixa bola aí. são series bem diferentes. nem da pra comparar.

  • Thiago Zod

    Menos, menos.

    Ainda está anos-luz de Game oh Thrones.

  • Paulo Júnior

    The 100 costuma ser sempre uma verdadeira viagem ao inferno, é uma das coisas mais sombrias que já vi, se não a mais.